domingo, 3 de janeiro de 2016

Perigo: Menina de 13 anos de idade morreu usando absorventes internos

Uma história foi contada essa semana por Roberts sobre a morte de sua filha para conscientizar o mundo sobre a doença, que não costuma receber atenção suficiente. “A síndrome do choque tóxico era mais conhecida nos anos 80, mas raramente ouvimos falar dela hoje em dia”, disse ela ao Manchester Evening News. "Meu marido nunca tinha ouvido falar dela. A conscientização pode salvar a vida de adolescentes como a minha filha". Roberts e sua família estão levantando fundos para o Alder Hey Children’s Hospital, onde sua filha foi tratada.

Aaron Glatt, MD, porta-voz da Infectious Diseases Society nos Estados Unidos diz que embora a síndrome do choque tóxico deva ser considerada, não é motivo para as adolescentes evitarem completamente os absorventes internos. “Os absorventes internos são realmente seguros de se usar”, disse Glatt ao Yahoo Parenting. “Ao mesmo tempo, existe uma chance desses produtos causarem a síndrome do choque tóxico, pois muitas pessoas pensam que podem usá-los por períodos muito longos”.

Apenas uma em cada 100.000 pessoas que usam absorventes internos contraem a SCT anualmente, de acordo com um estudo feito na University of Minnesota, e Glatt diz que casos fatais são ainda mais raros. Ainda assim, é melhor procurar ajuda se sua filha começar a se sentir mal enquanto usa este produto. “Se houver alergia, febre alta e outros sintomas do tipo, procure seu médico imediatamente”, diz Glatt. Não se esqueça de dizer ao seu médico que você usa o absorvente interno, pois os sintomas da síndrome podem ser facilmente confundidos com os da gripe.

Mulheres de todas as idades não devem usar os absorventes internos por mais de seis horas, precisam dar preferência a produtos de baixa absorção e interromper o uso se não estiverem se sentindo bem.

Yahoo

    Choose :
  • OR
  • To comment
Nenhum comentário :
Write comentários

loading...
Direitos autorais Portal Timbaúba Notícia. Imagens do modelo de MichaelJay. Tecnologia do Blogger.